O "MARE" vai à Escola - Quem tramou o clima?

mare2

No âmbito da disciplina Oficina de Projeto, o MARE - Centro de Ciências do Mar e do Ambiente apresentou uma palestra por videoconferência sobre os problemas do clima e os alunos 7.ºB redigiram a seguinte notícia sobre o evento:

Quem tramou o clima?

Na Escola Secundária de Palmela, dia 20 de janeiro, o “MARE vai à escola” apresentou uma palestra por videoconferência sobre os problemas do clima, levando os alunos a refletir sobre os comportamentos a adotar para contrariar as alterações climáticas.

Esta iniciativa aconteceu no âmbito do trabalho desenvolvido pela turma 7.º B em Oficina de Projeto, cujo tema é “A água como fator de sustentabilidade”.
MARE (Centro de Ciências do Mar e do Ambiente) é um centro de investigação, desenvolvimento tecnológico e inovação nacional, que desenvolve atividades de investigação orientadas para os problemas e desafios da sociedade, em parceria com outros centros de investigação nacionais e internacionais.

A atividade em que a turma participou consistiu, inicialmente, na sensibilização para as causas das alterações climáticas, através da visualização de vídeos, fotografias e até de perguntas dirigidas aos alunos.

Seguiu-se um momento informativo, com o qual os alunos tomaram consciência de algumas das causas naturais, não resultantes da ação humana, que prejudicam os ecossistemas da Terra, tais como a intensificação da ação vulcânica, os sismos, a queda de meteoritos ou os períodos glaciares, ocorrendo, na sua maioria, como consequência da dinâmica da Terra, resultante do movimento das placas tectónicas. Este movimento provoca uma evolução muito lenta e gradual à superfície da Terra, conduzindo a alterações lentas nos ecossistemas, apenas percetíveis numa ampla escala de tempo.

A bióloga marinha que dinamizou a sessão relembrou ainda que os comportamentos humanos têm grande impacto no nosso planeta. Estes representam as causas antropogénicas na alteração de ecossistemas. Entre elas, encontramos o CO2 resultante dos transportes, os incêndios florestais, a extinção de espécies, a desflorestação ou a destruição de habitats naturais.

Estas causas traduzem-se em consequências que todos constatamos como as ondas de calor, as cheias, os refugiados climáticos, as doenças tropicais, as secas, o derretimento das calotas polares ou a escassez de alimentos e muitas outras. Ao contrário das alterações naturais que ocorrem lentamente, as alterações antropogénicas ocorrem de forma muito rápida, o que não permite que exista tempo para uma adaptação às novas condições ambientais, tendo, por isso, consequências irreversíveis na dinâmica dos ecossistemas.
«Mare vai à Escola» pretendeu alertar cada um para a responsabilidade de travar o aquecimento global e os seus impactos. A turma relembrou o que tem que fazer para salvar o Planeta Azul: zelar pela limpeza dos oceanos, do ar, da terra. Como fazê-lo? Poupando energia, evitando a utilização de múltiplos eletrodomésticos ou de aparelhos de refrigeração, potenciadores da produção de CFC (clorofluorcarboneto), separando o lixo nos ecopontos, andando a pé, utilizando energias renováveis, promovendo a reflorestação, reduzindo o desperdício e controlando o consumismo.

Prevê-se que o mundo ultrapasse o limite de 1,5ºC em 12 anos ou menos, e alcance 3ºC de aquecimento até o fim do século.

Queremos travar este perigo? Ainda há tempo. Basta alterar alguns hábitos de vida.

Os alunos do 7.ºB